Dear Diary

There is no dark side of the moon, really…

Me dei conta de que nunca comentei sobre minha tatuagem aqui… Ela já está na minha pele há quase um ano, e foi umas das coisas mais maravilhosas que já fiz até hoje! Comecei a me interessar de verdade por essa arte um pouco antes de completar 18 anos. Nem precisei pensar muito, eu já tinha um desenho em mente e uma certeza.Certo dia, há alguns anos atrás, eu era apenas mais uma garota normal ouvindo músicas no youtube. Até que encontrei essa tal de Moneyresolvi clicar. A capa era tão bonita, enigmática. Começaram os primeiros acordes do baixo…pqp, onde eu estive todo esse tempo pra não ter ouvido isso antes?! Foi assim que o The Dark Side of the Moon entrou na minha vida. Pra você pode ser só mais um álbum de rock, mas pra mim…aaah cara, pra mim é uma das coisas mais lindas que o ser humano já criou! Então, por que não eternizar essa grande paixão na pele?Já  existem centenas de artigos na internet falando sobre a capa do dark side, então acho que não preciso adentrar muito nesse assunto. Mas como eu sou apaixonadíssima pelo conceito da mesma, preciso comentar: O feixe de luz que atinge o prisma e se decompõe em um espectro de cores seria uma metáfora para as dúvidas e problemas que a humanidade possui…o nascer, o morrer, a ganância e as guerras, o dinheiro e a loucura, são temas abordados pelas canções do álbum, que estão diretamente ligadas com a capa. Todos os seres humanos possuem um “lado oculto”…sim sim, meu querido leitor, aquele recheado de falhas, que você tenta esconder de tudo e todos. Sabe de qual estou falando né? O nosso lado mais humano.As pessoas encaram a arte de se tatuar de maneiras muito diferentes. Alguns tatuam por pura estética, outros precisam de um significado real pra marcar o corpo. Acho que me encaixo um pouco nos dois… Mas uma coisa certa: quando dizem que depois da primeira tatuagem é difícil parar, não é brincadeira não. Já penso até em qual será minha próxima e tenho muitas outras em mente…

Por fim, se você ainda não ouviu, não vá dormir sem fazer isso:

…matter of fact, it’s all dark.

Obrigado por tudo pessoal!

Anúncios

2 comentários em “There is no dark side of the moon, really…

  1. All that you touch
    All that you see
    All that you taste
    All you feel
    All that you love
    All that you hate (…)

    Fanzaço do Pink Floyd. Na primeira que escutei, pensei a mesma coisa…”onde estive esse tempo todo?” “vai dar tempo de assistir um show deles?” “Vou ver a reunião do quarteto?”
    Enfim, isso foi em 2007, Rick já tinha partido.

    Cai nesse post seu, por um acaso, vir por conta de um mini tutorial que vc fez usando o Pic Monkey. Vi na lateral da tela alguma coisa com “dark side” OPA!

    Seu conteudo tá de parabéns!

    1. Oi! Fiquei um tanto feliz com teu comentário! É sempre bom encontrar pessoas que tenham gostos parecidos com o nosso, não é? Incrível ver com essa banda tem influenciado gerações até os dias de hoje, com música de qualidade excepcional. É triste saber que nunca poderemos ver a banda junta outra vez…Mas temos um repertório maravilhoso (e eterno) pra degustar sempre que quisermos…E, claro, os membros remanescentes que volta e meia lançam trabalhos igualmente bons 🙂
      Obrigada pela visita! Um grande abraço!!! :*

Comente sobre isto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s