Beatlemania

Mulheres (Charles Bukowski)

Muito cara legal foi parar debaixo da ponte por causa de uma mulher.”

Essas são as palavras de Henry Chinaski, protagonista de Mulheres (e alter-ego de Charles Bukowski). Ele é poeta, boêmio, amante de música clássica e totalmente desapegado em matéria de relações humanas. Após passar a juventude sendo rejeitado pelas mulheres de todas as formas possíveis, por ser muito feio, pobre e sem jeito, aos 50 anos ele alcança aquilo que sempre desejou: dezenas (centenas ou milhares?) de mulheres aos seus pés.Ao longo do livro vamos acompanhar as aventuras (ou seriam desventuras?) de Chinaski com as mulheres. Sem romantismo, declarações de amor baratas ou coisas do tipo; Estamos falando de bebidas, sexo e drogas. Essas três palavras podem resumir perfeitamente o terceiro romance de Bukowski, publicado em 1978. Portanto, se você abomina esse tipo de temática, passe longe desse livro (e de toda a obra do velho Buk).

O enredo é construído em cima de um ciclo vicioso, onde Henry conhece uma mulher, passa uma noite com ela, bebe, vomita, bebe de novo, “despacha” a mulher e fica à espera da próxima a entrar em sua vida. Sem grandes acontecimentos, os capítulos dão a impressão de serem exatamente iguais…ou melhor, dariam, se não fosse pela escrita inconfundível do Velho Safado. Agressivo, sem pudor, ele não tem medo de jogar merda no ventilador; fala o que quer e do jeito que acha conveniente. Não poupa palavrões e descrições grotescas (porém, cômicas) da vida marginal. Mas no fundo, ele é mais sensível do que aparenta. Ele sabe das coisas.

Se tratando de Bukowski, é a arte que imita a vida; não é difícil confundir sua obra com a vida pessoal, pois as duas são praticamente a mesma coisa, e esse é um dos motivos pelas quais ele se tornou um dos meus autores favoritos. Sua escrita é simples, acessível, sem grandes devaneios, apesar disso traz grandes reflexões acerca da existência, dos comportamentos e relações humanas. Ele escreve sobre a vida como ela é: um grande saco de estrume, com alguns escapes de realidade que a tornam mais suportável.

Se você deseja começar a ler Bukowski, não comece por Mulheres. Recomendo que leia primeiro Misto Quente (em breve farei um post sobre ele), para conhecer e experimentar a escrita do autor. Mas leia de mente aberta, deixe o preconceito na caixinha e se se entregue a história. Pra mim, o Buk é um daqueles autores que, como Holden Caulfield diria, você termina um livro e dá vontade de ligar pra ele só pra conversar. Ele já não está mais entre nós; mas nos deixou uma vasta obra, pra quem quiser e estiver disposto a ler os escritos de alguém que não tem vergonha de se desnudar em todos os sentidos.

Você pode ler Mulheres gratuitamente aqui.

Obrigado por tudo, pessoal!

Anúncios

3 comentários em “Mulheres (Charles Bukowski)

  1. Não sei ao certo porque, mas nunca li Bukowski. Via os livros nas livrarias ou sebos, mas sempre tinha outro livro do lado que me chamava mais a atenção e assim ele passava esquecido. Mas essa sua resenha incrível me deixou super curioso! Vou apenas esperar pra ler o que você vai escrever sobre “Misto Quente” pra começar a procurar os livros do cara ^^

Comente sobre isto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s